sábado, 14 de novembro de 2009

BRINCOS ANAMBÉ

BRINCOS ANAMBÉ

Esses brincos foram feitos a pedido da minha amiga Rosa. Para fazê-los, utilizei fio encerado nas cores verde claro e caramelo, uma conta de acrílico laranja (linda!) que estava guardada há muito, porém não sabia ainda o que fazer com ela, e duas pequenas contas de madeira. A Rosa adorou a conta de acrílico e pediu um brinco, e também foi ela quem escolheu as cores. O resultado está aqui e a peça foi batizada com o nome da tribo Anambé.



TRIBO ANAMBÉ {região: Pará; língua: Tupi-Guarani}

Os Anambé perderam a maioria dos elementos culturais indígenas externos e seu modo de vida se assemelha ao dos sertanejos da região. Suas habitações são do tipo regional, com cobertura de palha ou de cavacos. Salvo pequenos cestos de carga, abanos, peneiras de trançado em espiral, fusos, pilões, ubás, arcos e flechas, todo o equipamento utilizado pelos Anambé é adquirido no comércio.
Os Anambé deixaram de comerciar o óleo de copaíba e o leite de maçaranduba, como faziam nas décadas de 50 e 60. E retiram madeira apenas quando necessitam uma quantia maior de dinheiro. Além da agricultura, outras atividades servem de suporte à subsistência: a caça, feita em grupo pelos homens, com o uso de espingardas, complementada pela apanha de jabutis pelas mulheres e crianças, se exerce sobre uma fauna hoje ameaçada pelos desmatamentos feitos por fazendas e serrarias; a pesca, realizada, com anzóis e linha, arco e flecha, sobretudo na estação seca, quando se recolhem também tracajás; e a coleta de frutos e mel.

2 comentários:

sistasantista disse...

Olá, Priscilla!
Está lindo o brinco! Muito me encanta sua arte roots!
Tenha uma linda semana!
Beijinhos
Telma

Rosa Mouta disse...

Meu brinco lindo!! Já foi bem elogiado!
Adorei o nome e a história da tribo, e achei que tem bem a ver, já que a peça usada é de acrílico e a tribo agora depende um pouco do comércio do homem branco. Mas é isso aí, o Brasil e sua grande miscigenação de raças!
Xêro!